Sobre a criação de revistas digitais para tablets

21 de dezembro de 2011

Apresentei no dia 9 de dezembro de 2011, no Teatro Escola do CEUNSP-Salto, o meu trabalho de conclusão do curso superior de Jornalismo. O tema foi a criação da revista digital Sorria para tablet. Foram meses de muito trabalho, afinal, tratava-se de pesquisar a produção de revistas digitais para o suporte tablet, assunto que carece de bibliografia acadêmica na área.

Defendi a ideia de que uma revista digital não é somente um arquivo digital fechado (como um arquivo PDF, por exemplo) que é visualizado em uma tela. Uma revista digital deve usar todos os recursos que seu suporte pode oferecer. Como já dizia o filósofo Marshall McLuhan: “O meio é a mensagem”. Foi preciso, portanto, analisar a revista digital como uma nova mídia, composta por elementos da revista impressa (periodicidade, segmentação, portabilidade), elementos da narrativa digital (multimidialidade, interatividade, hipertextualidade) e elementos únicos do tablet (páginas com dois layouts para visualização vertical e horizontal, eixo de leitura da esquerda para a direita e de cima para baixo).

Uma revista digital deve saber explorar esses recursos, mas não como uma forma extravagante de chamar a atenção, e sim passando informação de forma otimizada, unindo jornalismo e design para gerar uma nova experiência narrativa imersiva, na qual todos os elementos (layouts dinâmicos de páginas, textos, imagens, vídeos, áudios, infográficos interativos etc) se complementam.

Posso dizer que o resultado servirá como base para mais estudos e criações sobre revistas digitais e também sobre novas formas de narrativas digitais imersivas. Por fim, agradeço muito a todos os amigos e professores que me acompanharam nessa jornada! Super abraços!


Apresentação do meu Trabalho de Conclusão de Curso sobre Revista Digital para Tablet

8 de dezembro de 2011

TCC sobre Revista Digital para Tablet

 

Foram quatro anos de muito aprendizado, experiências, alegrias e, claro, muito sangue e suor no caminho para me tornar um jornalista. Sei que ainda tenho muito o que aprender, pois nunca há um momento em que se deve “parar de estudar”, mas o contato com os professores e estudantes de jornalismo, as discussões, o treinamento no jornal-laboratório… tudo foi fundamental para eu ter uma base profissional.

É em agradecimento aos meus amigos e professores que convido a todos para a apresentação do meu trabalho de conclusão do curso superior de Jornalismo da Faculdade de Comunicação, Artes e Design do CEUNSP!

Irei mostrar o que é uma revista digital para tablet e revelar a transposição que fiz da revista impressa Sorria para esse novo suporte digital, adaptando essa publicação para um meio interativo, hipertextual e multimídia.

Nos vemos lá! Abraços!


Uma revista impressa é um tablet que não funciona

15 de outubro de 2011

Toda nova geração aprende com facilidade a tecnologia que a geração anterior inventou. A “Geração Y” (os que nasceram na década de 90) já está familiarizada com as redes sociais e as diversas formas de comunicação digital. E a geração que está chegando? De acordo com o autor do vídeo abaixo, nossos filhos verão revistas impressas como tablets que não funcionam.

 

Claro que a conclusão do autor é exagerada. O bebê apenas tentou replicar a experiência que obteve com uma mídia digital em uma mídia impressa devido a série de estímulos que recebeu. Será preciso esperar esse bebê crescer, e toda a sua geração, para saber efetivamente suas preferências no consumo de informação.


Aplicativo Newsstand para iPhone, iPod e iPad já está em funcionamento

12 de outubro de 2011

Aplicativo Newsstand da Apple

Hoje, dia das crianças, é a data de lançamento do novo sistema operacional da Apple para dispositivos móveis, o iOS 5. Esse sistema operacional introduz para iPhones, iPods e iPads o aplicativo Newsstand. Esse aplicativo coloca à disposição, em uma estante de madeira virtual, todas as revistas que o usuário assina e facilita a compra de novas edições.

Basta entrar no aplicativo para ver se há revistas novas, pois o Newsstand se atualiza automaticamente. Essas revistas são baixadas para o dispositivo em segundo plano, sem atrapalhar a navegação do usuário.

Por enquanto, apenas algumas revistas estão presentes no aplicativo, como a Wired, justamente a que foi a revista digital para tablets pioneira, com seus layouts verticais e horizontais e diversas opções de interatividade.

[Editado: Como Luiz me apontou, a revista Time para iPad antecede até mesmo a Wired, usada pela Adobe para divulgar sua solução para revistas digitais. A Time foi criada com a tecnologia da Woodwing e plug-ins do aplicativo Adobe InDesign.]


Apple Newsstand, HTML5 e o futuro da revista digital

7 de junho de 2011

Steve Jobs, CEO da Apple, apresentou ontem (06/06/2011) diversas novidades para seus softwares e produtos eletrônicos no Worldwide Developers Conference. Novidades como o iCloud, serviço que permite armazenar suas fotos, e-mails, documentos e vários outros tipos de arquivos na Internet, para depois sincronizar com o iPad, iPod, iPhone, Mac e PC do usuário. Outra novidade é o novo sistema operacional do Macintosh, o Lion, que aproxima o Mac do sistema operacional dos dispositivos móveis.

Mas, para nós jornalistas, a novidade principal é o IOS 5, sistema operacional para dispositivos móveis, que traz para o iPad o novo aplicativo da Apple, o Newsstand. Trata-se de um aplicativo que permite a compra e assinatura de jornais e revistas, ou seja, funciona como o iBooks, mas é voltado para publicações periódicas. Quando uma assinatura de revista é efetuada nesse aplicativo, cada nova edição disponível no servidor é baixada no background, sem interferir com as atividades do leitor com seu dispositivo. Ou seja, não é mais preciso entrar no aplicativo da revista e esperar o download de centenas de megabites antes de visualizar uma revista.

O que pode assustar as editoras é a taxa de 30% que a Apple cobra para cada venda dessas revistas e jornais. E também o fato que a Apple tem um filtro rigoroso, não aceita publicações de conteúdo adulto, como a Playboy, por exemplo. Mas, a Apple defende que sua solução permite que uma revista fique à disposição de milhões de consumidores que podem comprar sua publicação em qualquer lugar, a qualquer hora, em poucos cliques.

Este será o futuro da revista digital? Talvez, mas a Apple tem um concorrente de peso: o HTML5. Essa tecnologia permite a criação de revistas digitais que são acessadas pela Internet e, portanto, não passam pelo filtro e principalmente, as taxas da Apple, nem precisam de instalação de aplicativos ou de download pesados para cada edição. Já existem publicações baseadas em HTML5, como a revista alemã Aside (http://asidemag.com) e o jornal Financial Times (http://apps.ft.com/ftwebapp/). Mas o problema para essa solução baseada em HTML5 se popularizar é a necessidade de aprender o código de programação, uma dificuldade para muitos designers de revistas.

Em relação ao jornalismo digital, espero que haja uma popularização tanto dos dispositivos tablets como de soluções simples e baratas para publicações digitais e interativas. A revista digital para mídia tablet tem uma narrativa única que, se bem explorada, criará uma mídia provedora de conteúdo jornalístico imersivo.


%d blogueiros gostam disto: